Arc

Resenha: Fractured Hope - Kristy Love

15:13:00

Sinopse

O vazio era meu companheiro constante.
Dor era tudo que eu conhecia A solidão era tudo o que eu sentia.
A vida me deu um golpe baixo. Os socos continuaram vindo.
Eu existia. Não vivia realmente.
Então ele entrou na minha vida.
Roman.
Ele era como uma catapulta com a língua afiada.
Mas, pela primeira vez em muito tempo, senti algo.
Senti tudo.
Paz.
Cuidado.
Esperança.
Mas a esperança levou apenas à decepção.
* * *
Perda.
Simples. Complicado. Que altera a vida.
Eu vivia sozinho, consumido por tudo o que eu não tinha mais.
Eu não tinha um propósito de vida.
Mia despertou algo dentro de mim que eu pensei que havia morrido tempos atrás.
Havia, finalmente, alguém para compartilhar minha vida.
Este era um sonho que eu havia abandonado há muito tempo.
Ela provocou uma emoção que eu tentei lutar,
Mas eu a queria.
Precisava dela.
Eu senti que tinha algo pelo que viver.
Mas a esperança era uma responsabilidade que eu não podia proporcionar.

Livro: Fractured Hope (Undone Series, #4 | Autora: Kristy Love | Ano de Lançamento: 2016 | Idioma: Inglês | Compre: Amazon | Classificação:3/5

A filha de Mia está em coma em uma clínica e sem nenhum sinal de melhora. Isso fez com que ela parasse toda a sua vida mas em meio à depressão e muitos outros dias ruins pela frente, ela conhece Roman, o vizinho turrão da porta ao lado que se torna responsável por dar uma chacoalhada na vida dela com suas palavras diretas e seus convites de jantar.

Sem um propósito de vida, Roman deixa tudo para trás e começa uma nova vida na cidade de Mia, onde trabalha como bombeiro paramédico e nas horas vagas se afoga em sua amargura e em uma vida solitária.

Quando a vida dos dois se cruza, um ilumina a vida do outro, abrandando o fardo que carregam mas sem as cobranças e pressões como aquelas exigidas daqueles que fazem parte de suas vidas.

"Roman and I were two broken souls, traveling through the abyss trying to stay afloat." 

O livro despertou minha atenção pela capa, que por sinal é linda e combina totalmente com a história. É uma história triste, é daquelas que te deixam um pouco pra baixo por acompanhar quase que integralmente a esperança que a Mia tem em sua filha acordar, em conjunto com toda a incapacidade dela fazer tudo ficar melhor.

O interessante é ler e perceber as mudanças que um traz à vida do outro e a forma como a autora conduz a história, não indo pelo caminho que a grande maioria iria desejar. Em determinados momentos nos sentimos na pele dos personagens, toda aquela esperança da Mia, a incapacidade de seguir em frente enquanto sua filha luta para viver, a raiva por conta das verdades ditas pelos parentes e amigos e pelas boas notícias que eles trazem e a culpa por estar viva e ativa no lugar daquela que ela mais ama.

E também percebemos como o companheirismo e o amor podem trazer a cura e a transformação, como no caso do Roman, que passa de um solitário e irritado homem para um grande amigo brincalhão e carinhoso. Ele é justamente o que Mia precisava, alguém que entendesse sua dor e se oferecesse para dividi-la sem tentar passar por cima de seus sentimentos. 

"Nós podemos ficar quebrados em conjunto e você sabe o que? Isso seria lindo."

Aos poucos a amizade entre os dois evolui e com o passar dos dias eles vão reaprendendo como viver novamente, com novos sonhos e o sentimento de espera renovados, mesmo com a desolação ainda presente.O final é uma gracinha, torci muito pela felicidade do casal depois de tanta agonia.

Esse é o quarto livro de uma série mas todos são autônomos, embora os personagens dos outros sejam citados nesse superficialmente.Não li nenhum dos anteriores mas fiquei com vontade de saber mais dos outros casais. A escrita da autora é boa, mas não é daqueles livros imperdíveis.

Arc gentilmente cedido pela autora. Obrigada.

Leia Também:

0 comentários

Inscreva-se no Feed